segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O básico do Vinho do Porto

O Alexandre Mathias (meu marido) estava estudando um pouco sobre vinhos do Porto e decidiu escrever um post para compartilhar seu aprendizado com todos nós. Ele gostou da experiência... Fez até uma tabela para ajudar na explicação. Acho que logo, logo, esse blog ganha mais um editor!! Vamos ao texto:

"Existem três estilos de vinhos do Porto, são eles: Branco, Tawny e Ruby. Esses estilos são definidos pelo tipo de envelhecimento, com exceção do Porto branco, que se deve ao fato de ser elaborado apenas com  uvas brancas.

Uma característica dos vinhos do Porto é que são utilizadas combinações de várias colheitas (safras diferentes) para a criação de um lote, o que lhe confere uma idade média e qualidade padrão, exceto para vinhos com o ano da colheita indicado no rótulo.

Fato: apenas o Porto Vintage evolui na garrafa, alguns podem ser guardados por décadas. Os demais já estão prontos para consumo.


Diferente de outros vinhos, o Porto tem o seu processo de fermentação interrompido com a adição de uma quantidade de aguardente vínica. O que resulta em um vinho com maior grau alcoólico e doçura natural.

Sua produção ocorre na região do Douro, um vale que se situa no nordeste de Portugal, ao longo do Rio Douro. Esta região é tida como a mais antiga demarcada do mundo (desde 1756).

As uvas utilizadas na elaboração do vinho do Porto são: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Tinto Cão e Tinta Amarela. As uvas brancas são: Malvasia Fina, Viosinho, Donzelinho e Gouveio.

Fato: É expressamente proibida a mistura entre as uvas brancas com as uvas tintas.

O Porto Vintage só é produzido em anos de extraordinária qualidade. Ele é engarrafado ainda jovem, com toda sua intensidade e fruta para evoluir na garrafa. Em geral, alcança sua boa fase entre 8 e 10 anos; em alguns casos podem continuar evoluindo por décadas. Os melhores anos das últimas décadas foram: 63, 66, 70, 77, 80, 83, 85, 87, 91, 92, 94, 95, 97, 00, 01 e 03.

Caso o vinho produzido com uma colheita excelente não atinja as característica excepcionais para um Vintage, o mesmo permanece no tonel até o quarto ou sexto ano. Este tempo extra de maturação tornará o vinho apto para o consumo logo após o engarrafamento. Estes são os vinhos classificados como LBV (Late Bottled Vintage)."

8 comentários:

  1. Nossa... O único Porto que eu entendo mesmo é Porto Alegre...
    Ainda bem que tenho amigos para me ensinar!!
    :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkk... Só vc mesmo!
      Grande beijo!!

      Excluir
  2. Muito bom o post! Tem uma garrafa do 63 e outra do 00, vamos tomar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuidado com o que você propõe, Evandro!!! Desse jeito vou ter de falar sim!!!!! Beijo

      Excluir
  3. Evandro, não faça uma oferta dessas... fica difícil recusar... Abraço

    ResponderExcluir
  4. Olha só, Evelyn, escrevemos quase sobre o mesmo tema ... O seu post é mais completo que o meu, parabéns ao maridão pela pesquisa ! Fiquei com medo de ser prolixo demais ...

    http://vinhotododia.blogspot.com.br/2012/11/cronicas-lusitanas-parte-2-os-vinhos-do.html

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, querido! Eu ainda não lis seus posts sobre a viagem! Estou correria de final de ano e o Ale decidiu me ajudar e fazer um post!
      Em breve passo por lá para ler!
      Grande beijo!

      Excluir