terça-feira, 4 de novembro de 2014

Veneza, Bellini e Carpaccio

Falar de Veneza?



Junte todos os clichês - linda, mágica, apaixonante, estonteante, cinematográfica, ... Juntou? Pois ainda será pouco! É impressionante como essa cidade é bela. Sempre digo que fotografar Veneza não requer prática, tampouco habilidades... Fácil, fácil!!! Qualquer beco, esquina, janela, canal, gôndola, é fotogênico. Com frequência revejo minhas fotos e me apaixono novamente.


Tive a oportunidade de estar lá por duas vezes, uma em 2013 e outra neste ano de 2014. Em ambas estive durante o verão! Sol, milhares de pessoas e a certeza de que se trata de um lugar pra lá de especial.



Para nós, apaixonados por gastronomia, impossível falar em Veneza e não falar de um prato e um drinque nascidos ali, no famoso Harry's Bar e que se espalharam pelo mundo: o Carpaccio e o refrescante Bellini.

O carpaccio - finíssimas fatias de carne crua, com molho de mostarda - foi criado para servir a condessa Amalia Nani Mocenigo, em 1950, quando ela informou ao dono do bar que seu médico havia recomendado o consumo exclusivo de carne crua. O prato foi nomeado por Giuseppe Cipriani, o fundador e dono do bar, em referência ao pintor italiano Vittore Carpaccio, pois as cores do prato o recordavam das pinturas de Carpaccio.



O drinque Bellini - uma parte de pêssegos ralados e três partes de Prosseco - também nasceu no mesmo bar, e também foi criado pelo Giuseppe Cipriani, mas um pouco antes, por volta dos anos 20. Dessa vez, o homenageado foi o famoso pintor renascentista Giovanni Bellini, considerado um renovador do estilo veneziano. O nome foi assim definido, pois a cor do coquetel é semelhante às que Bellini usava em seus quadros.


O drinque, originalmente feito no verão, pois era a época da safra do pêssego, fez muito sucesso entre os frequentadores do bar, como Charles Chaplin e Ernest Hemingway. Segundo Cipriani, um dos segredos para fazer um verdadeiro Bellini é usar somente pêssegos brancos; outra dica é dada por Maurice Graham Henry (citado por Cipriani no site oficial do bar) o pêssego branco deve ser ralado, para criar um “purê” de pêssego e, se necessário, adicionar açúcar. 

Mas me contaram que tem um jeito bem fácil de tomar um Bellini, sem precisar ir até Veneza ou ralar pêssegos. Como? Eu só descobrirei amanhã, às 20 horas, no site do Winebar. Vem descobrir comigo!

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Festival do vinho sul-americano em SP, na próxima sexta-feira

Brasil, Argentina, Chile e Uruguai são os países da América do Sul mais conhecidos quando falamos em vinhos. 


Juntos, eles dominam a participação no mercado brasileiro em quase 80% dos vinhos finos vendidos. O Chile é o líder de importações seguido da vizinha Argentina e, embora o Uruguai não esteja entre os primeiros colocados do ranking, posso garantir que os vinhos são excelentes; as pessoas só precisam descobri-lo.

Por isso, venha conferir essa diversidade no Festival do Vinho Sul-Americano, organizado pela SBAV-SP (Associação Brasileira dos Amigos do Vinho de São Paulo). O evento será no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza, em São Paulo, e promete atrair os profissionais do mundo do vinho e, principalmente, o consumidor final, já que alguns dos rótulos degustados também estarão à venda.

De acordo com Rodrigo Mammana, presidente da SBAV-SP, o evento acontece em um período estratégico do mercado: “Estamos em um bom momento para promover o vinho sul-americano devido às festividades de final de ano que se aproximam. O Festival é uma oportunidade para quem quer adiantar as compras nesta época em que há um aumento no consumo de vinhos e espumantes”.

Então, anote na agenda: 

Festival do Vinho Sul-Americano 
3 de outubro de 2014 | Das 16 às 21 horas
Hotel Golden Tulip Paulista Plaza
[Alameda Santos, 85 – Jardins – São Paulo/SP]
Mais informações: (11) 3814-7905 | vinho@sbav-sp.com.br
Convites: R$ 30,00 (associados) e R$ 50,00 (não associados)

Nos vemos lá!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Uma noite, dois vinhos, três pratos e quatro amigos!

Adoro encontros na sexta-feira à noite! Parece que o final de semana rende mais, né? Por isso não perdi tempo em aceitar o convite para jantar com a blogueira mais linda e doce desse mundo dos vinhos - Jane Prado, do Château de Jane.

O jantar, preparado por Jane e Alessander Guerra (autor do livro Sex and Kitchen e do site Cuecas na Cozinha) - estava indefectível: Bruschetta de queijo brie com abobrinha e redução de aceto balsâmico, risoto de legumes e, de sobremesa, um petit gateau que derretia na boca!

Ah, pode ter jeito melhor de começar o final de semana? Duvido!

Para beber, começamos com o melhor espumante brasileiro, o Estrelas do Brasil Nature 2007!!


Coloração dourada encantadora! Na boca mostrou excelente persistência, com notas de mel e amêndoas, que harmonizou em cheio com a bruschetta. Delícia!! Dica: Entra no site da vinícola Estrelas do Brasil e compre essa garrafa por R$80. Você não vai se arrepender!

Na sequência fomos com um Riesling da Nova Zelândia, o Hunters 2011.


Esse vinho foi um presente de Jane para mim. No final de 2013 participamos de um amigo secreto patrocinado pelo site Wine e ela me sorteou!

Extremamente aromático! Sabe aquele vinho que contêm toda a tipicidade de uma casta? É esse! Todos os aromas característicos da Riesling estavam lá, em especial o querosene, a maçã verde, o limão siciliano e um leve toque de flor.

Dois vinhos impressionantes, que ficaram ainda mais incríveis diante da boa comida e do bom bate-papo!

Sim, a vida com amigos e vinhos é sempre melhor!

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

A fome é o desejo reincidente...

Há tempos adio a leitura do livro "Clube dos Anjos", de Luís Fernando Veríssimo, que pertence à coleção "Plenos Pecados", da Editora Objetiva. Com o slogan "um convite à reflexão e também ao prazer", a coleção Plenos Pecados foi lançada no ano de 1998, apresentando sete obras de sete autores consagrados, com a proposta de analisar os pecados capitais que fascinam e aprisionam os homens ao longo dos séculos, sob um ponto de vista libertador e contemporâneo. 

E, nesses acasos da vida, enquanto passeava pela Livraria Cultura, me deparei com o volume escrito pelo Luís Fernando Veríssimo, narrando o delicioso pecado da Gula!

Foto:  Divulgação

A contracapa já seduz: 

"Não é todo dia que se quer ver um pastoso Van Gogh ou ouvir uma crocante fuga de Bach ou amar uma suculenta mulher, mas todos os dias se quer comer. A fome é o único desejo reincidente, pois a visão acaba, a audição acaba, o sexo acaba, o poder acaba - mas a fome continua."

Como resistir à tentação de começar a ler ali mesmo, na livraria... Não, não pude resistir e comprei!

O livro conta a história da Confraria do Picadinho, que se reúne uma vez ao mês para celebrar a arte de comer bem. Porém, no dia seguinte ao jantar feito por um misterioso chef, um dos confrades morre por circunstâncias misteriosas, justamente ele que, por tanto ter gostado do prato feito pelo cozinheiro (Boeuf Bourguignon), quis comer a última porção. A dúvida paira no ar entre os presentes: teria o confrade Abel morrido envenenado?

A morte do amigo não é motivo para pararem com os encontros, e no mês seguinte, mais um jantar promovido por Lucídio e mais uma morte. No outro mês, o episódio se repete. Diante de tantas coincidências entre jantares e mortes, não seria o mais aceitável que os encontros fossem cessados? Seria, mas não para o grupo que, de certa forma sente um prazer ainda maior em saborear os pratos apimentados com um iminente medo de morrer. A comida, de algum modo, ficaria mais saborosa por causa da incerteza mórbida da última refeição: será que amanhã eu vou amanhecer vivo?

Estou me deliciando com a obra, desejando saborear a última página.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Conhece o Aperol Spritz?

O Aperol Spritz é um drinque de muito sucesso na Europa. Durante minha passagem pela Itália (no ano passado) e pela Alemanha (no último mês), fiquei surpresa com a quantidade de taças com liquido lindamente laranja que dominavam as mesas nos bares e restaurantes. 


O Aperol Spritz, originário da região do Vêneto (Itália), é um drinque muito badalado e delicioso, que combina muito bem com o verão, já que é uma bebida leve e refrescante, com sabor de laranja ligeiramente amarga.

O melhor de tudo é que preparar o drinque é muito fácil: 3 partes de prosseco ou espumante, 2 partes de Aperol e uma parte de água com gás ou club soda. Pronto! 

Sim, comprar uma garrafa de Aperol aqui no Brasil está cada vez mais fácil. As grandes redes de supermercados já estão comercializando. No Pão de Açúcar, por exemplo, comprei a minha e paguei R$40.

Então...




sexta-feira, 1 de agosto de 2014

TOP 10 * Berlim

Você ainda vai conhecer Berlim! Ah, vai! A cidade é apaixonante, linda, arborizada, repleta de atrações e merece ser visitada. Hoje ainda é possível notar resquícios de uma cidade que esteve dividida entre capitalismo e socialismo. A arquitetura, principalmente, traz essas marcas históricas.

Por isso, decidi fazer uma listinha do TOP 10 coisas que você precisa fazer quando estiver em Berlim. Vale lembrar que a cidade tem muito, mas muito mais coisas para se conhecer. Vamos lá:

* O muro de Berlim/ East Side Gallery


Passou-se mais de 20 anos desde a queda do Muro de Berlim, mas até hoje ele exerce um grande fascínio nas pessoas. Então como ir à Berlim e não ver o Muro de Berlim? Tem que ver, faz parte do programa obrigatório. Existe alguns locais onde se pode ver trechos remanescentes do muro: o mais famoso é o chamado “East Side Gallery”, que fica ao longo do rio Spree, entre a Ostbahnhof e a ponte Oberbaumbrücke. Neste trecho, podemos ver uma série de pinturas de artistas de diversas partes do mundo retratando acontecimentos políticos ligados ao muro.

Para se ter uma noção concreta da extensão do muro, por toda a cidade existe uma demarcação no chão indicando por onde o muro passava. Essa demarcação é feita a partir de uma dupla fileira de paralelepípedos.

2 * Alexanderplatz e a Torre de TV


A Alexanderplatz é uma das maiores praças de Berlim. E é lá que você encontra a Torre de TV, que pode ser vista de diversos pontos da cidade. Uma das construções mais altas da Europa, e um dos pontos turísticos mais visitados da Alemanha, a torre te proporciona um bela visão de Berlim em 360 graus.


Por 12 euros você pode subir os 203 metros de altura em um elevador super rápido e observar Berlim do alto. Impossível não se apaixonar!  

3 * Portão de Brandemburgo


Sem dúvida, esse é o cartão-postal mais famoso de Berlim e símbolo da unificação alemã, embora sua história remonte a uma época bem mais antiga, quando Berlim ainda era uma cidade cercada por muros, numa espécie de fortaleza.

Esse local também é o palco das grandes comemorações alemãs, dentre elas, a Copa do Mundo. Se você observar bem, por trás dele há uma armação metálica. Era exatamente aí que estava o telão em que assistíamos aos jogos da Copa.

4 * Berliner Dom


Berliner Dom, a maior e mais importante igreja protestante de Berlim, foi construída entre 1894 e 1905, mas a sua história se inicia muito antes. A bela e imponente Catedral de Berlim é uma das construções mais fotografadas da cidade. Pudera! Com cúpulas marcantes e seus monumentais 114 metros de comprimento e 116 metros de altura, a catedral destaca-se na paisagem. Ela está localizada às margens do rio Spree, na Ilha dos Museus. Não deixe de visita-la. Além de bela, sua história é riquíssima. Vale a pena alugar um audio guide para conhecer todos os seus detalhes.

5 * Checkpoint Charlie


O Checkpoint Charlie era um posto militar na fronteira entre Berlim Ocidental e Oriental durante a Guerra Fria. Ele se localizava na junção das ruas Friedrichstrasse com Zimmerstrasse e Mauerstrasse, ligando o setor americano com o setor soviético. Após a construção do muro de Berlim, as autoridades construíram este posto para servir como um ponto de controle da passagem de pessoas entre o lado Oriental e Ocidental. Vale a pena dar uma passadinha por lá, para imaginar a história!

6 * Gedächtniskirche


A igreja Kaiser-Wilhelm-Gedächtniskirche também merece sua atenção. A sua torre, que foi extremamente danificada por bombardeios durante a Segunda Guerra e que não foi restaurada, é um símbolo para lembrar a destruição causada pela guerra.

7 * Avenida Unter den Linden


A Unter den Linden é uma das mais bonitas e famosas avenidas de Berlim. Ela tem 1,5 km de extensão e se estende deste a ponte Schlossbrücke (ponte do palácio) até o Portão de Brandenburgo.

Lindamente larga e arborizada, caminhe de ponta a ponta, observe seus monumentos, suas construções históricas, pare para almoçar, tomar uma Weizenbier (como a da foto), vinho ou para tomar um café em seus inúmeros restaurantes e bares, observe os berlinenses indo e vindo e você terá a certeza de que Berlim é muito especial. Dizem que na época do Natal as árvores recebem iluminação diferenciada e a avenida fica ainda mais bela, se é que isso é possível!

8 * Hospede-se na Berlim Oriental


Garantia de noites agitadas e muita história para ser observada e (re)vivida. A arquitetura, com traços daquela Alemanha Oriental de outrora, é instigante. Mas se você é daqueles que curte um ambiente mais comercial, repleto de lojas de grifes, então fique do lado ocidental, ok?

9 * Ande, ande, ande a pé ou de bike


A cidade de Berlim é plana, bem sinalizada e com pessoas dispostas a te ajudarem. Pode alugar um bike por 5 euros e pedalar até cansar. A cidade inteirinha é pensada para o uso das magrelas. Aproveite! Mas, se você é como nós, do Taças e Rolhas, então pegue um mapa e "caia no mundo", ande até o pé ficar destruído. Aposto que terá um sorriso nos lábios ao final do dia.

10 * Experimente o Berliner Currywurst



Passar por Berlim e não provar o prato típico deles é inaceitável. Peça o Berliner Currywurst, uma salsicha grelhada, acompanhada por um molho de tomate temperado com curry e batatas fritas crocantes. Harmoniza perfeitamente com uma taça de vinho branco refrescante!

O prato é tão importante que existe até um museu sobre ele, o Currywurst Museum

Ah, você vai cair de amores por Berlim... Pode anotar!

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Quer um bom champagne a um preço excelente?

Há tempos queria experimentar o champagne Montaudon

Nessas coincidências da vida, a Wine.com.br me enviou uma garrafa por conta do meu aniversário! Abri e ...


Elaborado com o corte típico da região de Champagne - as castas Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier nas mesmas proporções, apresentou perlage fino, aromas de frutas frescas, principalmente maçã, leve toque de fermentação, sem grandes complexidades. Na boca mostrou-se leve, fresco, delicado. 

O preço? R$89,00. Aprovado!