terça-feira, 13 de março de 2012

Champagne e crepe!

Sábado decidi preparar crepe! Minha primeira dificuldade foi decidir por uma receita. Tem massa que leva leite, outra que leva cerveja, outra que vai água com gás... Umas levam ovos, outras só farinha... Que difícil!

Mas toda a dificuldade em escolher qual massa preparar, não se repetiu na escolha do vinho, pois eu sabia desde o momento que eu tinha acordado, que eu queria beber Champagne.

O eleito foi Deutz Brut Classic, que eu adquiri na Casa Flora enquanto comprava alguns ingredientes para o Natal.


Eu já havia provado esse champagne no curso de sommelier, durante a confraternização de final de curso! Eu gostei tanto dele que, quando o vi por R$160,00 não resisti...

Com coloração amarelo-palha e reflexos levemente esverdeados, apresentou perlage fino e intenso. Inicialmente os aromas foram de pão (fermento) e flores brancas. Depois apareceram maçã verde, pera, abacaxi bem verde e uma amêndoa tostada. Na boca mostrou uma acidez bem equilibrada, notas de frutas  e um final bem prolongado e elegante. Esse champagne, ao meu ver, se encaixa numa das melhores relações custo/benefício que eu conheço.

O champagne estava delicioso, mas um pensamento me perseguia: "Será que harmonizará com os crepes?"

Preparei quatro recheios diferentes (dois salgados e dois doces). Eu acreditava que com os salgados a harmonização seria boa, mas tive muitas dúvidas se com os crepes doces ela funcionaria também.

O primeiro crepe tinha recheio de bacon refogado com alho e alecrim. Acrescentei algumas lascas de queijo grana padano e o resultado é esse aí da foto!


Ficou uma delícia e combinou super bem com o nosso champagne.

O segundo crepe tinha recheio de queijo provolone e peito de peru picadinhos.


Apesar de gostoso, esse recheio não combinou com o champagne, justamente porque o sabor de defumado do queijo provolone e do peito de peru se sobrepuseram a delicadeza do nosso vinho!

Nos crepes doces, o champagne se saiu bem apenas com o que foi recheado de compota de morangos e framboesas, que eu mesma preparei...


Já com o recheio de crème de marrons (purê de castanhas com açúcar e baunilha) não funcionou, não.


Aliás, não combinou em nada! O crepe em si, estava delicioso, mas com o champagne ficou horrível! Não consegui identificar o porquê. Penso que o fundo de baunilha desequilibrou os sabores. Ficou uma coisa meio amarga, bem esquisita!

No geral, valeu a experiência! Meus próximos crepes serão de gorgonzola com damascos, e brie com aspargos... Estou pensando nos vinhos... Alguma sugestão?

2 comentários:

  1. Evelyn,
    Esse é um grande champagne, que merece ser conhecido.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Sou fã dele também, Alexandre!
    Obrigada pela visita!
    Beijo

    ResponderExcluir